4 de fevereiro de 2010

Felicidade

A felicidade tem se tornado tão rara em nossa, vida que o homem de hoje parece fadado à infelicidade. São tantas oscilações, tantas variantes e tantos sonhos que parece que nosso tempo na terra é pequeno demais para alcançar nossas aspirações. E nossa felicidade verdadeira vai ficando sempre para depois. Depois do vestibular, depois de conseguir aquele emprego, ou aquela pós-graduação...

Buscamos a felicidade cada vez mais longe, não que isso seja ruim, pelo contrario, mas nessa de buscar, esquecemos que a felicidade pode ser conquistada aos poucos no simples da vida. Nos amigos, na família, no dia a dia.

"A felicidade é uma gama de emoções ou sentimentos que vai desde o contentamento ou satisfação até a alegria intensa ou júbilo. A felicidade tem ainda o significado de bem-estar ou paz interna. O oposto da felicidade é a tristeza." Quando estamos tristes, nos habituamos a ter a infelicidade como estada de espírito mais comum, estático.

Esquecemos de buscar a felicidade nas coisas pequenas, na simplicidade. Procure a graça dos pequenos imprevistos da vida. Procure o lado positivo. Observe a sutileza das flores, a alegria das crianças e o amor bem vivido. Busque a felicidade, como se busca um endereço desconhecido. E quando encontrá-lo, não o perca jamais.



"Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade."
(Mário Quintana)

Ps1: Trechos desse texto (destacado) foram retirados da Wikipédia.

Ps2: Quem acompanha o Alices deve ter percebido os últimos posts meio filosóficos, por isso, tem nova tag: cronicando.