27 de fevereiro de 2011

Happy Birthday!

 “Os vários costumes de celebração de aniversários  têm uma longa história. Suas origens acham-se entre a mágica e a religião. E o poder de um aniversário não é exatamente contestado hoje em dia.

Os costumes de dar parabéns,  presentes e de celebrar, por exemplo, nos tempos antigos eram para proteger o aniversariante de demônios e garantir segurança no ano seguinte. Acreditava-se também que as saudações tinham poder para o bem ou para o mal, porque a pessoa neste dia supostamente estava perto do mundo espiritual e as velas seriam dotadas de magia especial para atender pedidos.

Os gregos - e romanos - diziam que cada um tinha um espírito protetor que assistia seu nascimento e vigiava sobre ele em vida. Este espírito tinha uma relação mística com o Deus e essa ligação era renovada no Aniversário.

O costume de acender velas nos bolos também começou com os gregos e serviria para espantar os maus espíritos. Já no Vietnã a comemoração não acontece na data especifica do nascimento de cada pessoa, e sim na passagem do ano novo de maneira coletiva.

Por esse ângulo tenho bons presente para você nesse ano: Uma passagem para o Vietnã te faria não se sentir tão sozinha nessa data. Poderia te dar um monte de velas, cada uma para um pedido ou acender uma só para espantar seus medos. No fim das contas, sei que você não acredita nessa ladainha.

Sinto muito não estar ai para comemorar com você ou te apoiar. No fundo, por traz do meu ICEBERG favorito, estar uma pessoa sensível, amável, afável e birrenta. Ah, e uma chata de galocha! :D

Desejo todas as decisões do mundo, toda felicidade e alegria. Porque elas são muito diferentes! - Felicidade é estado espirito vitalício. Alegria são momentos marcantes e passageiros.

Como os desejos nessa data tem ainda mais poder. Quero que você tenha e sinta todos os amores... alguns alegres e outros tantos felizes. E eu – infelizmente – continuo como sua enfermeira de corações partidos e sua psicanalista de Divã. Qualquer dia desses cobro pelas consultas.

Sei que você odeia ANIVERSÁRIO, mas sua explicação não me convenceu muito. É que 4 anos convivendo com você é o bastante para não deixar os seus 18  em branco. Agradeço temporariamente os quilômetros que nos separa, caso contrario  – com certeza – eu iria apanhar.

Agora, você tem a obrigação de ser minha responsável em baladas e afins e me levar em segurança até a minha casa.

Enfim e Por fim, o clichê:
Feliz Aniversário Amiga!