16 de abril de 2011

Maldita Cinderela

"Há anos peço o príncipe e só me mandam o cavalo." - Tati Bernadi 

A culpa deve ser dessa tal de Cinderela, que me faz querer príncipes encantados... E aí deles se tentarem virar sapos! Mesmo os que lá no fundo não passam de lobo mal, um quê de sangue azul brilha nos olhos. E que olhos! Que boca, que músculos!

A culpa é daquela miss perfeitinha faz todas as garotinhas suspirarem com seus amores românticos, e procurarem desesperadamente outro igual, mas as princesas só matavam dragões e bruxas, corriam uma dúzia de perigos, salvam o príncipe e Voilá: Felizes Para sempre.

Nenhuma delas deviam estudar, pensar na carreira, estar sempre magra - aliás, elas não engordam NUNCA. -, ter pele de pêssego e cabelo de Hollywood. O xis da questão era achar o príncipe. Depois tudo ficava azul com bolinhas da mesma cor.

Para nós, meras mortais, os príncipes são raríssimos e é ainda mais trabalhoso conviver com eles e seus respectivos egos. Não duvido que a culpa seja mesmo daquela adormecida ou da outra do tapete que fisgaram todos os que valiam a pena.

E toda aquela bravura, sapiência e sorrisos largos? Ah ah! Voltemos alguns séculos e com certa sorte, acha-se um ou dois. Exigimos demais do Homo Sapiens moderno. E então Cinderelas, vamos fazer um acordo? Agente ensina vocês a viver e vocês nos dão os príncipes encantados à moda antiga.