5 de agosto de 2012

Em e Dex, Dex e Em

Um dia foi presente da Fran. Uma surpresa enorme, em todos os sentidos. E esse é um daqueles livros que agente escolhe pela capa - Sou encantada pela capa com a Anne Hathaway e o Jim Sturgess - e não se decepciona pela escolha.

Um dia - David Nicholls. Editora Intrínseca.
Não sabia nada a respeito da história até começar a ler, comecei a ler devagarinho... Sem expectativas e a medida que o livro vai passando você começa a se empolgar e envolver completamente com Dexter e Emma.

Dexter Mayhem é um anti-herói. Lindo, de uma família rica, tem tudo o que quer, mesmo sem saber exatamente o que quer. Emma diz sobre Dexter: “Dexter não consegue se concentrar por muito tempo. Como um bebê. Ou um macaco. Você precisa estar sempre agitando alguma coisa brilhante na frente dele”. Ele passa a maior parte dos Vinte anos viajando, sem trabalhar, e quando não tem mais jeito arruma um trabalho na Tevê porque, segundo ele, é legal chegar para uma garota e dizer: “Eu trabalho na Televisão”. 

Emma Morley é absolutamente inteligente, mas não é do tipo insistente. Insegura, pula de emprego em emprego, sem saber ao certo o que quer da vida. É atriz, roteirista, garçonete, professora de inglês e finalmente se encontra como escritora. Ela pensa: "Será que estava condenada a ser uma daquelas pessoas que passam a vida tentando fazer coisas?". Em passa o livro inteiro envolta em dúvidas e autocriticas, até as coisas realmente se assentarem e algo acontece. 

Em e Dex, Dex e Em – esse trocadilho aparece no livro inteiro – se conhecem aos 20 anos, 1988, em Edimburgo na formatura da turma deles, que estudaram a vida inteira juntos, mas não pertenciam a mesma turma. Despois de uma noite juntos, sem sexo, eles se tornam amigos. Entre idas, vindas e distancias, se passam 15... 20 anos. 


Cada capítulo do livro narra exatamente o dia 15 de Junho*, dia que eles se conheceram, de cada ano entre 1988 e 2007. São muitas histórias, acontecimentos e surpresas nesses quase vinte anos. Você acompanha o amadurecimento de cada um como pessoa e como casal. 

É emocionante - eu chorei horrores lendo -, surpreendente e intenso. David Nicholls tem uma forma diferente de narrativa, predominantemente em 3° pessoa, que faz você entrar no livro e ver cada encontro como se estivesse lá. Eu achei alguns trechos um pouco maçantes, mas Dex e Em juntos é extremamente engraçado. 


Eu ainda não assisti ao Filme – ainda bem! – porque queria ler o livro primeiro. Assisti ao trailer e me parece ser muito fidedigno. Tenho muita esperança em uma adaptação sensacional por que o roteiro é assinado pelo próprio David Nicholls. Enfim, Dexter e Emma formam um lindíssimo casal. Dexter é apaixonante e eu me identifiquei completamente na Emma.


"- Sabe de uma coisa, Em, se você ainda estiver solteira quando tiver quarenta anos, eu caso com você.
Emma olhou para ele com um franca aversão.
- Isso foi uma proposta, Dex?
- Não é para a agora, mas para quando nós dois estivermos desesperados.
(Pág 76)


*Segundo a tradição inglesa, as condições meteorológicas do dia 15 de julho, o Dia de São Swithin (o bispo de Winchester, clamado por duas doações para caridade e construção de igrejas), permanecerão por quarenta dias.