17 de agosto de 2012

Peter Pan


Pezinhos da Yasmin. Fotografados pela Bianca, do Two Bee.


A gente passa os primeiros 15 anos da vida querendo crescer e depois daria tudo para voltar uns 10 anos, ao menos.


Eu fico aqui pensando o quão mais fácil seria minha vida se eu tivesse um marido rico, se eu não tivesse que pegar dois ônibus para qualquer lugar que eu vá nessa cidade ou se eu voltasse a ter 5 anos de idade.

Então, eu lembro que cinco anos atrás eu não saia sozinha a noite; meus amigos não tinham nem carro, nem habilitação para me dar carona; e eu tinha que enrolar o laterninha do cinema para assisti os filmes que eu queria.

Eu cresci e isso, quando eu não estou no limite, é delicioso. Ter seu próprio dinheiro, chegar tarde em casa, não ser barrado na entrada do cinema e beber uma taça de vinho são privilégios que eu não abro a mão!

Crescer dói, de verdade. Ter hora para acordar e não ter hora para dormir é um saco. Ter mil livros para ler e não ter tempo, não saber a programação da televisão de cor é uma merda! Mas, talvez um dia isso valha a pena. E se não valer... não, Eu faço valer.

Resumindo a ópera, há alguns dias tenho uma mesa, uma gaveta, um computador e bato ponto. Agora tento conciliar estágio, duas faculdades (administração e jornalismo), blog, fanfic, Coragem, coluna no It cultura e alguma vida social/pessoal entre essas vírgulas.

Por enquanto, uma universidade está em Greve e a outra trancada até Janeiro. Por enquanto, tenho pouca coisa para fazer no estágio. E até segunda ordem, estamos funcionando normalmente 24 horas por dia.