2 de abril de 2013

Convivência,

relacionamento, dependência. Ta aí três palavras que eu tenho pavor.

E pode gritar aos quatro ventos que eu sou egoísta. Não me importo, apesar de achar que comodismo é um nomenclatura mais correta.

Eu tenho pavor total e absoluto dessas pessoas que se encostam em um relacionamento, que dependem de outra pessoa para viver, respirar e tudo o mais. Que forçam uma convivência insuportável onde só um se beneficia e no momento que o suporte da relação resolve da no pé... já era, baby.


Não que elas não saibam fazer as coisas, se encostam por puro egoísmo de "eu tenho que ser servido". Pior que ainda se acham no direito de cobrar serviços cinco estrelas, como se tivéssemos toda a obrigação do mundo de servir a vadia.

Eu não suporto isso e, cá entre nós, não sirvo porra nenhuma ninguém. Relacionamentos de toda e qualquer espécie são uma via de mão dupla, sustentar financeiramente uma relação não lhe dá o direito de cobrar favores. Não lhe dá o direito de exigir excelência e muito menos extingue a sua responsabilidade.

Fico extremamente chateada com pessoas que não crescem, se escoram como árvores podres e podam o crescimento alheio por exigir tudo de quem está ao redor. Como diz minha avó, "é sempre venha a nós e nunca o vosso reino".



Não era isso que eu ia postar hoje. Na verdade, nem ia postar hoje, mas tive que publicar esse texto desabafo. E, na boa, NUNCA seja sombra ou faça sombra na vida de uma pessoa.
Sejam independentes, corajosos. Mulher não nasceu para cozinha ou homem para pagar as contas ou amigo para fazer seu trabalho da faculdade. Faça seu caminho, conheça pessoas, peça ajuda quando não puder carregar seus fardos, mas JAMAIS faça outras pessoas carregarem o que lhe cabe. É Feio, é egoísta, é estúpido.