13 de maio de 2013

Gritando

Temos um sério problema. Ao menos a maioria de nós tem um sério problema. A mente grita. Os pensamos gritam. As ideias vão passando como um raio.

E a vida aqui a atropelar ideias. O sono a guardar os sonhos. E dias correm mais que a mente grita.

As ideias tem a mania chata de aparecer sempre que não podemos lhe dar a devida atenção e sempre saem a bater o pé e resmungar a falta de zelo por sua estadia.

Imagino uma menininha de quatro anos batendo o pé, com as mãozinhas na cintura, me olhando enfezada e balançando a cabeça em represália.

A inspiração é assim: Vem sem ser convidada  gritando e exigindo que todos a olhem. Então sai de fininho no melhor da festa como se nada lhe dissesse respeito.

Tudo culpa nossa que mimamos a mente e a alimentamos como todos os tipos de doces, cores, brincadeiras e alegrias naquela época em que temos a mesma idade. Então, crescemos e ela fica lá sentada na praça vendo a vida chata da amiguinha do parque, a correr de norte a sul, leva.

Ela continua lá... Gritando, esperneando e fazendo birra atrás de dez minut... dez horas ou anos de fama.