1 de dezembro de 2013

sobre beijar sapos


Enquanto não encontro o príncipe encantado, vou beijando sapos. Ninguém sabe a agonia imensa que essa frase me traz. Por que diabos e qual o sentido lógico de beijar dez pessoas em uma única noite?

Beijar é ótimo, eu sei! Mas na minha ingênua concepção filosófica você beija um, dois (três?) caras na festa e tá bacana. Se a pessoa sabe conversar, não está próximo ao coma alcoólico e você está a fim de curtir... beleza! 

Vai fundo, gata! Pega o contato do whatsapp, se no outro dia rolar conversa... ponto para você. Se um cara é um mala, bola para frente.

O que eu realmente não entendo é gente que sai “pegando geral” para se sentir amada (amado). Nem sempre o príncipe encantado vai estar ao lado, mas enquanto "passa o rodo", O cara passou despercebido no meio da fila.

Ou foi aquele você dispensou para sair com o outro que tem um carrão.

Relacionamentos são complicados, se apegar é complicado e cada um tem sua lista de prioridade, mas ainda estou tentando descobrir se eu entendo mal, ou meu significado de solteira convicta é diferente do das outras pessoas.

Não acho que sair pegando todo mundo seja um bom test drive; não acredito que ficar com pessoas por comodismo seja uma boa forma de não se sentir só; e não acho que "solteira sim, sozinha nunca" seja um bom slogan.