2 de julho de 2014

Não me procure

Imagem: The Wall Group. Conheça esse tumblr liiindo aqui.

Ontem eu desliguei meu celular após a sexta ligação durante a primeira metade do filme. Ontem, uma terça-feira ensolarada, eu larguei tudo sem fazer e fui para o cinema com uma amiga que não via fazia tempo. Ontem eu precisei largar tudo, para não abrir mão da minha sanidade.


Cumpri meu horário trabalho normal; corri para a academia, já que correr tem sido mais que a rotina; peguei minha bolsa e fui para o cinema. Cinema que remarquei três vezes por causa de tantas outras obrigações que não valem ser nomeadas.

Eu gosto de me senti ocupada, eu gosto de saber que estou fazendo algo em prol de um objetivo "x". Mas de tempos em tempos essa loucura me soterra e nesses tempos, eu preciso desligar meu celular e fazer qualquer coisa que não seja por obrigação. Não importa o que ou quando.

Eu deveria chegar em casa chorosa após Hazel e Gus, manter o celular desligado, ler um bom livro e dormir cedo. Mas foi irresistível ligar o celular e foi algo como o apocalipse ver 265 mensagens não lidas, 10 ligações perdidas e a entrega de um produto que eu esqueci de fazer e, pior, esqueci de avisar que não ia. E o resultado da tarde desaparecida foi mais uma noite insone tentando explicar meu sumiço e reprogramar minha semana.

De qualquer forma, eu ainda quero ter o direito de jogar a vida para cima e simplesmente sentir o que é ser uma pessoa menos estressada e mais dona do meu nariz arrebitado. Não se preocupem se eu sumir de vez em sempre, todo mundo tem direito a isso, tem direito a ser gente e a respirar de vez em quando.


Ps: 
02/07 às 11:32AM: Post via celular durante um intervalinho do estágio. Edito direitinho e coloco a fonte da imagem - que foi de um tumblr que amoo - quando estiver no notebook. Tô viva e tô bem, não priemos canico. :*

03/07 às 10:45PM: Texto revisado ;)