17 de abril de 2015

O endeusamento da medicina brasileira

Significado de Endeusar

v.t. Deificar, divinizar.
Louvar desmedidamente.
V.pr. Fig. Atribuir qualidades divinas a si mesmo.
Extasiar-se.

Esse é uma daquelas crônicas que eu sei que alguns vão se identificar, outros vão repudiar e muito não irão entender. Entender porque enquanto a qualidade da saúde pública brasileira regride a olhos vistos, eu - uma reles ninguém - estou falando do ego inflado de uma classe financeiramente rica acostumada a rir da cara de quem deveria cuidar.

Eu tenho plano de saúde. Eu estou muito acima da linha da miséria e bem abaixo da classe média. Eu sou uma típica brasileira, de família tradicional, cujos pais ralam muito - muito mesmo - para dar a mim e a meu irmão, uma casa confortável, uma escola privada de alguma qualidade, tv a cabo, internet e plano de saúde.

Eu não sou e não fui uma dessas pessoas que morrem na fila de um hospital público esperando uma maca ficar vaga ou um médico aparecer no seu plantão e por tanto a realidade que eu tenho conhecimento de causa para falar se resume a hospital privados, planos de saúdes medíocres e profissionais que deveriam nos atender com o mínimo de dignidade. Por tanto, me desculpe se entre tantos problemas, médicos importados e dinheiro desviado, eu estou falando das únicas pessoas que se acham mais vítimas que quem está esperando em uma fila.

Já estive muitas vezes em hospitais - vários deles, nas várias cidades que eu já morei. Nunca nada exatamente sério, mas de problemas alérgicos e respiratórios, eu tenho uma lista. Sempre tive plano de saúde e isso, sem sombra de dúvidas, salvou minha vida durante a minha infância. Algo sobre quinze anos atrás, eu morar perto de um hospital de referência e o médicos se formarem por dedicação à vida e não ao dinheiro. Acho que era um tempo em que a gente ia sempre ao mesmo médico, o cara conhecia toda a nossa família e nosso histórico hospitalar e eu, pequenininha, conhecia as enfermeiras do hospital pelo nome.

Esse tempo, não existe mais na minha realidade e acho que nunca existiu na realidade de mais da metade da população brasileira. Hoje, eu vejo um número enorme de pessoas pegando diplomas de medicina em nome de um status social superestimado e um retorno financeiro rápido. Logicamente, existem exceções e talvez exista amor na medicina.

Para a minha geração, basta pensar em quantos conhecidos que prestaram (ou vão prestar) vestibular para medicina. Quais deles vão ser médicos porque a família quer um médico? Quais deles vão ser médicos porque o retorno financeiro, após a formatura, é rápido? Quais deles, na sua opinião, tem traços de personalidade que farão dele um médico humanizado

Quais deles realmente DESEJAM ser médicos?

Eu não posso afirmar categoricamente qual o problema da medicina no Brasil. O que eu preciso defender é uma postura humana em relação ao paciente e o amor a profissão e não ao dinheiro. O que eu quero dizer é que eu não aguento mais esperar dias por uma consulta de rotina, por um médico que não vai nem olhar para mim; semanas por um exame; e meses por um diagnostico no qual eu se quer confiarei.

Já tive muitos diagnósticos errados que poderiam ter me levado a complicações seríssima se eu não fosse grilada (e tivesse condições) de visitar vários médicos. Conheço pessoas que precisaram de cirurgias de emergência porque não foram diagnosticadas em tempo. E outras que fizeram cirurgias desnecessárias para que o Dr. Fulano tivesse o dinheiro de um procedimento.

Essa falta de valor da vida em frente ao dinheiro, e a necessidade de dizer-se médico em nome de um status social pode não ser tipicamente brasileira, mas o endeusamento da nossa medicina tem trazido danos incalculáveis a saúde do nosso país. Muito mais que estrutura física, nós precisamos de seres humanos normais e apaixonados pela profissão escolhida. 

Precisamos de mais amor e menos status na medicina.