15 de maio de 2015

Quando a sociedade me rotulou como feminazi


Eu ainda não decidi se eu me considero totalmente feminista ou se eu sou uma simpatizante da ideia de igualdade de gêneros. Obviamente, uma questão de dar rótulos aos meus ideais e rotular pessoas é uma coisa muito estúpida.

Outro dia, eu tive de escutar que "eu não podia mudar o mundo sozinha" em um discussão ridícula sobre mulher poder ou não poder xingar. Enquanto o lado oposto dizia que é muito pior uma mulher xingando que um homem xingando; eu tentava bravamente não ter um infarto fulminante diante do machismo partindo de uma mulher.

Não, gata, eu não quero mudar o mundo sozinha, mas eu também não preciso aceita-lo do jeito que me foi entregue. 

Eu não preciso aceitar "meu lugar na cozinha"; não preciso aceitar "30% menos de salário"; não preciso aceitar "ser estuprada por que vesti um short curto"; não preciso "ser assassinada por ser mulher"; não preciso aceitar quando gritam "gostosa" do carro, enquanto eu caminho até o ponto de ônibus; não preciso aceitar ser "sexualmente assediada em ônibus lotado"; não preciso aceitar "você precisa de um namorado"; e não preciso aceitar "ser uma mulher sem dono".

Tirinha: Alexandre Beck.

Posso não ser grande teórica do assunto, não li quase nada a respeito, não vou a grandes marchas em prol do direito das mulheres... mas eu quero assumir meu lugar em toda e qualquer discussão que tente me enfiar regras goela a baixo. Principalmente se essas regras só se aplicarem ao sexo feminino apenas por sermos mulheres.

Mulheres deveriam se dar ao respeito... Todo ser humano deve respeitar qualquer ser vivo independente de qualquer coisa.

Mulheres não deveriam se vestir desse jeito... Eu me visto como eu quiser, porra. O corpo é meu e quem manda em mim sou eu.

Mulheres não deveriam beber, fumar, xingar, chegar tarde em casa, gostar de futebol, ser exímia motorista, ter amigos homens, ou qualquer coisa "tipicamente masculina"... Eu me enquadro na categoria ser humano e por tanto eu tenho tanto direito como qualquer ser humano a fazer o que me dá na telha. Por que é feio uma mulher bêbada e é viril um homem bêbado? É feio, para mim, qualquer pessoa alcoolizada a ponto de não responder por si mesmo.

Mulheres não pode sair "pegando geral"... Uma coisa muito irritante é o fato de sexualidade aflorada em homens ser um ponto extremamente positivo e para as mulheres um crime imperdoável. Meu argumento é sempre o de que homens e mulheres são seres humanos e todo ser humano é igual e DEVE ter os mesmos direitos.


Eu queria, realmente, entender o que as pessoas tem em mente quando dizem que mulher com uma grande carreira, transou com o chefe e homens com grandes carreiras são inteligentíssimos; Ou como nenhuma conquista de uma mulher será representativa diante do fato dela continuar solteira; Ou como nenhuma mulher será completa sem que tenho um filho (parido do seu próprio ventre).

Eu não quero ser superior, eu não quero rótulos, eu não quero ser chamada de feminazi por não aceitar o lugar que querem me impor. Eu não preciso me enquadrar nos padrões que a sociedade me impõe. Eu quero ter cabelo curto, eu não quero ter filhos, eu quero uma carreira brilhante, eu quero viajar sozinha ou acompanhada, eu não preciso de um homem para me sentir mulher e eu posso xingar a hora que eu quiser.

Não precisamos aceitar a sociedade que estamos inseridos, assim como não precisamos mudar o mundo. Apenas precisamos nos aceitar como somos e entender que não existe homem versus mulher; branco versus negro; ou rico versus pobre diante do fato de que somos seres humanos DIFERENTES, cujos direitos são exatamente IGUAIS. 

Mais feminismo no Mil Alices:
Feminismo por aí: